A Portuguesa mais Carioca

Estou a descansar. Dou por mim a voar para longe. A voar. Chego aos trópicos onde o calor que já lá está aquece um pouco mais e abre caminho à primavera que se anuncia. Lembro-me da última vez que lá estive. A portuguesa mais carioca do Rio de Janeiro! Este exagero é próprio de quem ama a cidade maravilhosa como eu!

IPANEMA_RIO DE JANEIRO_BRASIL

Foi num domingo quente e sereno. Estava deitada nas areias de Ipanema com a minha amiga Joana. Bebíamos mate e apreciávamos os astros globais, que desfilavam. A vista para o grande oceano, transformado em mar de banhos cálidos e mergulhos fazia-nos entender esta gente dourada e feliz!

Sentia-me a portuguesa mais carioca!

Horas mais tarde, deixaria o Rio de Janeiro, a minha cidade amada, a minha praia, para regressar à pátria. Ao Porto. Aos meus. Não mais lá voltei. Mas volto em breve. Muito breve.

Naquele domingo, acabava uma viagem única. Ter voltado lá é uma história rocambolesca. Diria digna de filme de domingo à tarde, nada que mereça um Oscar, mas que faz uma tarde sem graça ser muito mais bem passada.

Imagino-me deitada no sofá, a levantar no intervalo para ir buscar um chá de verde e umas bolachas de canela. Talvez uns lenços de papel. Kleenex. Regressar para, já sentada de lado, me enroscar na minha manta de xadrez preferida, como que pronta a prestar mais atenção aos detalhes.

Uma história assim não vai mudar a vida de ninguém. Ou se calhar, vai fazer toda a diferença na vida de alguém. Comigo foi assim! E hoje regressa com toda a força às minhas memórias.

A PORTUGUESA MAIS CARIOCA

Faltam pouco menos de dois meses. Dia 7 de Novembro regresso ao Brasil. Paro, bebo um gole do chá verde, que acabei por fazer. E penso. Penso que dois anos depois volto ao Brasil como nunca imaginei. Embora no fundo sempre o soubesse. O Brasil está na minha vida desde sempre. E agora firma o compromisso de jamais sair.

Quando, em Novembro de 2015, eu fui a primeira vez ao Brasil, eu fui realizar um sonho, fui viver tudo o que imaginara a vida toda … e vivi!

Mais uma vez o exagero provava a realidade eu sentia-me a portuguesa mais carioca do Rio de Janeiro!

Para além de tudo o que achava, o Brasil deu-me uma noção de mim mesma que jamais voltei a negar, com todas as consequências que daí resultaram. Depois, marquei um regresso em Fevereiro para no Carnaval ir desfilar na Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, com a fantasia escolhida, e tudo marcado … na última hora, não fui, porque senti um patético peso na consciência que me falava de obrigações e responsabilidades … resultado: fiquei de tal forma triste e fragilizada, que adoeci e, desde o dia em que devia ter partido até ao dia que regressaria, fiquei de cama, prostrada e febril, sem conseguir fazer face às tais obrigações e responsabilidades … conclusão: a Escola ganhou o Carnaval aclamada como um espectáculo único.

Eu arrependi-me ao ponto de jurar a mim mesma que, no futuro, sendo “chamada” eu iria, sempre!

A 8 de Março, dia internacional da mulher, e um dia particularmente triste para mim, a vida andava para trás e eu não tinha como inverter a marcha sem dor, muita dor, recebi um telefonema às dez da noite. Já estava na cama, embora não dormisse, era a Joana Batista.

WTM_SÃO PAULO_BRASIL

Nove dias depois estava a embarcar rumo ao Brasil. Durante os quinze dias seguintes, ia trabalhar ao lado da Joana na promoção dos nossos blogs em parceria com outras instituições e na Feira de Turismo WTM, onde fomos muito bem recebidas.

E, de repente, o mundo dava voltas e reviravoltas.

As nossas vidas acompanhavam os acontecimentos com a certeza de que tudo estava combinado nas estrelas e nós éramos meros peões nas mãos do destino, que nós procuramos, que nós decidimos, que nós fazemos acontecer. Mas não controlamos!

IPANEMA_RIO DE JANEIRO_BRASIL

Então, eu não fui atrás do sonho, esse já era uma realidade.

Eu fui atrás dos meus objectivos, do meu futuro. Passou mais de um ano. E durante estes dias, todos os dias, eu trabalhei, eu estudei, eu li, eu cuidei dos meus filhos, cuidei dos filhos dos outros, nutri o meu casamento, encontrei amigas e amigos de longa data, conheci outros tantos, Sorri, chorei, desesperei, afirmei, mudei. Vivi. Construis dia após dia o que está a acontecer hoje. No presente. O meu futuro naquele ano passado virou o meu presente. Que será o caminho do futuro.

E o meu futuro está aí. Sou Travel Coach.

A minha intenção é levar a viajar quem se quer conhecer. Quem quer conhecer o Brasil. Ou quem nem sonha ou nem pensa em conhecer o Brasil, mas quer ir! Quer viajar. E quem quer também crescer. Quem quer se desenvolver interiormente.

Quem quer se conhecer. Quem quer viver o verdadeiro eu.

E eu quero mostrar o verdadeiro Brasil. O meu Rio de Janeiro amado. O meu Brasil do coração, aquele que eu busco, que eu desvendo.O melhor boteco, o melhor pôr do sol, a melhor casa de samba, a melhor hora de visitar o Cristo, o melhor mate da praia, a melhor feira, a melhor praia.

O melhor que a portuguesa mais carioca conhece, porque foi, porque viu, porque experimentou, porque sabe!

About the author: Viagens da Helena

"Eu sou a Helena. Tenho quarenta anos (+ 2), sou Leão, nascida e criada no Porto. Sou tripeira de gema! Mãe de dois filhos, o Francisco e o António. Sou uma filha presente e uma irmã mais ausente do que gostaria. Sou amiga de todos os que me chegam, mas conto pelos dedos os que guardo para a vida."

2 comments to “A Portuguesa mais Carioca

You can leave a reply or Trackback this post.
  1. Viajar em Família - 10 Abril, 2016 Responder

    E que sejamos “chamadas” muitas mais vezes, querida Helena!

Leave a Reply

Your email address will not be published.