Eu que sou de datas agradeço estes trezentos e sessenta e cinco dias cheios de sonhos realizados de vida vivida.

A minha vida tem tantas vidas quantas as músicas que tocam no meu gira-discos.

Bebia coca-cola sem culpa, passava o verão no Algarve e tinha uma árvore de Natal cheia de presentes camuflados em papéis de fantasia.